segunda-feira, 24 de abril de 2017

Alma Cheia

E as ferias estão praticamente no fim.
E o sentimento de que estou neste momento é: que maravilha!!!

Atrevo-me a dizer que estes dias vão ser um marco bem significante na minha vida! Férias tiradas com um propósito e o sentimento é de que foi cumprido!

Eu não me aborreci uma única vez
Não me queixei, e quando dei contra, transformei imediatamente esse estado de desagrado em algum pensamento que me dava mais prazer!

Eu almocei com amigas com quem já não estava há algum tempo
Eu bebi café com outras
Eu passei horas a desfrutar da companhia de outras
Eu passei horas comigo mesma, e não é que cada vez gosto mais de mim?! chamem-me convencida ou o que entenderem, mas é um sentimento verdadeiro! Cada vez dou menos valor a fazer "fretes" só porque fica bem ou porque tem de ser. Mas tem de ser porquê?

Isto de agradar a todos, tem muito que se lhe diga. Eu não me importo de agradar os outros se para mim também for um prazer. Mas... se for um frete eu não faço, ou eu não vou ou então se decidir que vou... vou pelo menos tempo possível!

Cultivar o que nos faz bem, enche a alma, faz sorrir e vive-se a felicidade. Aquela felicidade que toda a gente anda atrás e nem sabe exactamente o que é ou onde está.

Já vão uns 2 anos, que sou daquelas pessoas que é feliz, mas feliz mesmo, por nenhum motivo em concreto, ou simplesmente por tudo!
Tão somente porque decidi agradecer, aceitar e ser feliz com o tudo que tenho, porque entendo que tenho todas as condições para ser feliz AGORA!

Decidi não ficar á espera de ser feliz quando ganhar o euromilhoes, de quando emagrecer, de quando o meu salário quadriplicar, de quando chegar aos 60 kg, de quando estiver sol, de quando não chover, de quando tiver aquele carro...

Só por hoje, eu decido ser feliz agora!

Bom feriado!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

O que dão as reflexões...

Sou a mais velha de 4 filhos ( a unica menina)
Sempre fiz tudo o que podia nas coisas de casa, e sempre tomei conta dos meus irmãos (ajudava nos trabalhos, brincavamos, faziamos tudo em conjunto). 
Entrei na universidade aos 18 acabadinhos de fazer, passados 3 meses comecei a trabalhar e até hoje... felizmente foi sempre "a sério". 
Fiz o percurso académico a trabalhar, o que me deu muita estaleca, iniciei logo na minha área profissional, o que fez com que aos 27 anos já estivesse a assumir a direcção financeira de uma empresa multinacional.
Sempre me esforcei muito, sempre estudei (ainda hoje sou assim, e com muito orgulho). 
Ao fim de 11 anos de namoro, decidimos casar, 6 meses depois fizemos encomenda para o primeiro rebento, estamos casados há 9 anos, temos um filhote de 7 anos e uma filhota de quase 4.

Isto tudo para chegar onde???
Que há momentos, no meio da agitação, na correria do dia a dia, no meio da exigência e responsabilidade da profissão, que no meio da família a que pertencemos, que no meio da familia que construímos, dos amigos, da participação nas escolas dos filhotes, e tudo o que todos nós sabemos... há momentos (poucos mas há) em que nos esquecemos de nós... que nós existimos, e somos pessoas que além de toda esta responsabilidade e exigência, também temos prazeres e que por vezes minimizamos, ou deixamos para depois...

Adoro ler
Adoro fazer desporto
Adoro meditar
Adoro conversar (mas...uma boa conversa, o que cada vez é mais raro encontrar) as futilidades, o constante interesse na vida alheia, a queixa, a posição de vitima, a superioridade, a mentira, a falsidade, o andar meio mundo a tentar "lixar" o outro, as redes sociais, a falta de nexo, a falta de auto-estima, a falta de princípios básicos, a falta de respeito, a necessidade de se mostrarem e de se exibirem... nada disto me diz rigorosamente nada e tudo isto me faz sentir cada vez mais "desintegrada" no entanto, cada vez mais segura do que eu sou e do que eu quero continuar a ser e a certeza de que estou no bom caminho!
Adoro abraços
Adoro olhar nos olhos das pessoas (o que incomoda bastante... eu sei) 
Adoro dançar
Adoro rir à gargalhada
Adoro sentir que melhorei o dia de alguem
Adoro meter conversa
Adoro observar (a ver as pessoas a andar de um lado para o outro, ter a consciencia que cada uma dessas pessoas tem uma historia, uma vida, um trabalho uma familia... ainda no outro dia iamos na viagem para o Piodão e perguntei aos filhotes se estavam a ver quantos aviões estavam a passar por cima de nós. Eram 3.. e pensar que em cada aviõzinho daqueles, iam mais de 100 pessoas... de que paises? que linguas falam, do que gostam, são felizes..tem familia, o que os move??)
Adoro estar sozinha

e quando dei conta que apesar de fazer um esforço enorme para manter todos estes prazeres no meu dia a dia, eu estava ESTAFADA e... pela primeira vez desde que me lembro de ser gente... eu tirei umas ferias para mim!

Os miudos regressaram á escola na quarta, e eu só regresso ao trabalho dia 26.
Ao inicio parece muito. Mas depois... a verdade é que passa a correr. geri tudo muito bem... consegui tratar de imensas coisinhas pendentes, mas o melhor de tudo é que o dia de hoje e o de segunda feira são meus, só meus!

E não é que me está a saber maravilha?
Ontem resolvi reler um livro que já tinha comprado em 2009 ou 2010 e continua sempre atual. e que faz tanto sentido neste momento.


Foi maravilhoso voltar a fazer o teste do nivel de felicidade, e comparar as minhas respostas naquela altura com as respostas atuais, são só motivo de orgulho! O quão bem eu tenho feito a mim mesma, e ao mesmo tempo, aos que me rodeiam.

E pronto... hoje excedi-me, mas a verdade é que apenas pensava fazer um post a comentar o livro que estava a ler... mas o livro fez-me viajar...fez-me refletir, e a reflexão levou-me a fazer um resumo muito resumido de um pouco de mim... e a verdade é que neste momento aqui estou eu, de coração cheio, alma leve, sorriso no rosto e um intenso sentimento de gratidão. Muita gratidão!

Alex


quarta-feira, 19 de abril de 2017

Das férias à fantasia :)


E ao que parece... as férias continuam :)

Para eles, as férias terminaram, regressaram hoje á escola, eu cá vou aproveitando mais uns diazinhos :)

Cá por casa já foi dia de fantasia... e porque é que só se usam os fatos de Carnaval nos dias de Carnaval?




Já foi dia de cozer os folares




Já foi dia de ir á praia:



E hoje foi dia de ir levá-los á escola e........TENTAR descansar!

Digo tentar... porque ainda não parei... tanta volta para dar! Mas consegui organizar-me bem e num dia dei imensas voltitas, o que já facilita os proximos dias.

Até já

Alex

domingo, 9 de abril de 2017

Que maravilha!

Como eu gosto de cumprir com os objectivos!
Como eu gosto de re-começar!
Como eu gosto de encarar que todos os dias são uma oportunidade de fazer algo diferente. Concordam?

Eu não faço apenas na mudança de ano, mas vá... nessa altura eu organizo o meu ano com situações que pretendo cumprir, ao longo desses 365 dias.

Faço vários planos, consoante os objectivos:
- Plano Financeiro
- Plano Físico (actividade física, perda de peso, alimentação)
- Plano lazer/viagens em família (viagem planeadas fora, conhecer e explorar novos pontos do nosso país...voltar a sítios que fomos mas não usufruímos devidamente naquele momento)
- Plano pessoal (sobre a minha missão, o que já descobri, o que pretendo fazer com essa informação... que passos pretendo dar etc...)

Este fim de semana cumprimos com o fim de semana "em passeio" de Abril 2017. A ideia para 2017 é pelo menos um fim de semana por mês, irmos "fora da zona".

Então o trajecto deste fim de semana foi: Gois - Fraga da Pena - Foz D´Égua - Piódão - 

Resumo: FAN - TAS - TI - CO

Deixo aqui algumas fotos:)

Gois










Fraga da Pena






Piodão 






Foz D´Egua






No caminho











E foi assim... completamente maravilhoso!

Uma viagem que estive totalmente presente...

Atenta aos sons... (água a correr em cada esquina, pássaros... crianças a rir, outras a chorar... gargalhadas de adultos (que cada vez é mais raro), formigas gigantes comparando com as da nossa zona, sentir os pauzinhos a partirem debaixo dos nossos pés consoante caminhavamos, as carumas a cair... pedras a rolar

Atenta aos cheiros... o cheiro da relva, o cheiro de flores que já nem lembrava que conhecia...

Sentir... sentir o calorzinho a bater no corpo... um vento que quase não se sentia, um ar puro, maravilhoso, todas as ruas com flores

Passar nos mesmos sítios em estações do ano diferentes, é como se estivéssemos noutro sítio. Estes sitios no verão... não são tão bem aproveitados (na minha opinião) :)))

A unica dificuldade que senti, e que noto que ainda tenho algum trabalho a fazer é... silêncio com 2 crianças (hahahaha)

Óbvio que quando digo silêncio... não me refiro a muitos segundos seguidos... mas... agradecia-se alguns (5 segundos é pedir muito???!!!)     :)))))

Toda a viagem falaram, cantaram, pegavam um com o outro... tem que haver uma capacidade de gestão... (deles, de mim mesma, com as outras pessoas...rsrsrsrsr)

e sim... apesar de 2 filhos não ser muito, reparei também, que assim pequenos... das pessoas com quem nos cruzámos seriamos o único casal com 2 filhos (ora a algazarra, seria sempre de holofotes virados a nós) :)))

Alex


quinta-feira, 6 de abril de 2017

20 anos

Que maravilha................. que gostoso é olhar para trás e sentir ...

que também nós... sim ... nós... já temos uma história de 20 anos.... nós também criámos uma história, a nossa história... (o modesta a parte... já nem existem histórias como a nossa)  :))))
06 de Abril de 1997... fim de semana...baile de Pascoa (tempos em que iamos aos bailes, e nos divertiamos, conheciamos pessoas novas)  não tinhamos telemóveis e muitos de nós nem telefone fixo em casa. 
Despedíamos-nos sem a certeza de quando nos voltávamos a encontrar. 

Borboletas no estômago, ansiedade, curiosidade, saudade... extremo desejo de conhecer mais e mais aquela pessoa, pelo olhar, pelo toque das mãos, pelo cheiro (tudo aquilo que se tem vindo a perder ao longo destes anos...) felizmente que nós não permitimos isso. Não deixámos que as modernices entrassem na nossa vida.

Olhando para trás... recordando... sentindo... tudo o que lá vai... e a conclusão que chego é exatamente a mesma que tive nos primeiros momentos que te vi...

" Encontrei o homem da minha vida"
" Encontrei o pai dos meus filhos"

Tinhamos 17 anos. E essa certeza foi tão forte e tão grande, que no mesmo dia, decidimos dar as mãos... 

Mas um dar das mãos eterno. Aquele dar das mãos que causa arrepio... aquele dar das mãos que evita tantas palavras, naquele momento em que estamos ali, mas não sabemos o que dizer. aquele dar das mãos que tras desejo, paixão.

Assim somos hoje. Eternos amantes, companheiros, amigos, apaixonados.

O que acho que fez com que desse certo desta forma?!
. O Respeito (não faças aos outros o que não gostarias que te fizessem a ti)

. A individualidade (somos um casal, mas somos 2 pessoas diferentes, eu tenho os meus gostos, tu tens os teus, eu tenho as minhas amigas e tu tens os teus, eu tenho as minhas conversas com as minhas amigas, tu tens as tuas, eu tenho o meu telemovel tu tens o teu, eu tenho a minha conta de e-mail tu tens a tua, eu tenho a minha conta de facebook, tu tens a tua... e não mexemos, não interferimos um no outro)

. Estamos presentes ( gerimos o nosso tempo, com as dificuldades inerentes a um casal comum com 2 filhos, em que ambos trabalham e assumem grandes responsabilidades, em que ambos têm hobbies, em que ambos amam as suas familias e gostam de passar tempo com ambas as partes mas acima de tudo gostamos de estar a 4 e quando estamos... estamos. Sentimos, vivemos. Passeamos, fazemos pic nics, vamos ver o mar, vamos subir montanhas, vamos à serra da estrela, vamos à pesca, vamos ver os coelhos a correr, vamos ao campo de futebol dar umas boladas, saltamos à corda, desenhamos, vemos um filme juntos, vamos jantar fora, comemos na varanda, vamos ao teatro, vamos ao cinema.

. Falamos de emoções (este ponto é o que mais temos evoluído), os homens pensam que falar não é para eles, é coisa de mulheres... mas não é. Falar das nossas emoções é libertador. é terapeutico. Se não explicarmos o que nos magoa ao outro... como é que ele sabe? se não falarmos como nos sentimos com aquela atitude do outro... como é que o outro sabe que nos magoou? O desenvolvimento deste ponto, tem encurtado em muito o tempo menos bom. Não somos um casal de discussões, mas eu amuo com facilidade... de forma temporária, mas amuo... e ficava à espera que ele desse conta, depois não dava... ou se dava não dizia nada eu ainda ficava mais fula... e vinha a bola de neve... hoje em dia, falo logo, doa o que doer, conversamos, descrevemos os pontos de vista, colocamos-nos no lugar do outro e as perspectivas mudam por completo.

. Nunca dormimos de costas voltadas

. Damos sempre um abraço apertadinho, de manhã... e ao final do dia (no minimo)

Que estes 20 anos quadripliquem... e que nos encontremos em futuras vidas, assim tão unidos e felizes como estamos nesta.

Amo-me. Amo-te, e AMO o que construiímos juntos............... (... os nossos filhos são... deliciosos...)

Alex

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Ultrapassar barreiras

E após alguns dias de reflexão, e de estudo sobre o que efectivamente seria mais eficaz aos meus objectivos presentes, deparo-me com uma situação inesperada...

Eu vou começar a andar de bicicleta. Nunca gostei ou pelo menos nunca me pus a isso!



Já dei os primeiros passos.
Para não ir já investir numa, para depois ficar na garagem (porque eu não sou assim e cada vez mais tomo consciência das minhas decisões) pedi a bicicleta emprestada ao meu afilhado. 

Pedi ontem. Ainda nem sei como a vou buscar, mas ando a magicar uma solução para estes dias.

Para quem não me conhece desde sempre, eu não sou de dar desculpas. Quando é para fazer eu faço, quando é para ir eu vou. A verdade é que ao longo do tempo... e com 2 filhos pequenos, numa cidade londe dos pais, da familia, e marido com horários ainda piores que os meus... a logistica para a tividade fisica é sempre muito muito complicado.

Daí ter passadeira em casa e ir fazendo. Mas cheguei a uma fase em que sinto que é o momento, ... eu vou sair para a rua, eu vou ter o meu espaço para o meu exercicio em contacto com a natureza! 

Ora... o marido continua com horarios tardios, os meus sogros e pais continuam longe... e não sei bem AINDA como se vai dar... mas se a decisão está tomada, logo...vou confiar que as soluções surgirão...

Confio e dou inicio à nova caminhada... e o chão aparece, não tenho dúvidas!

Bora lá!

Alma Cheia

E as ferias estão praticamente no fim. E o sentimento de que estou neste momento é: que maravilha!!! Atrevo-me a dizer que estes dias vão...